Diferenças entre os animês e a vida real

Porque eu vivo dizendo que “a vida não é um animê”

Se você nunca me ouviu dizer essa frase, provavelmente você não é tão próximo ou próxima de mim quanto pensa. Essa reflexão vive me assombrando e dia após dia eu tenho que me lembrar que a vida de fato não é um animê, e que nem sempre as coisas vão dar certo ou teremos um herói para iluminar nosso coração.

Hoje separei uma lista com as principais diferenças entre os animês e a realidade. Acredite, a vida pode ser bem dura às vezes: a comida não sai perfeita, relacionamentos não dão certo e as pessoas nem sempre alcançam seus sonhos, então elas acabam escrevendo desesperadamente na esperança de algo dar certo.

Seus relacionamentos vão te enlouquecer

Nos animês, diferente do mundo real, os relacionamentos sempre fluem tranquilamente. Os casais fazem passeios para a praia, parques temáticos, acampam. Isso faz com que tudo pareça maravilhoso, ainda mais quando termina como uma dança ao redor de uma fogueira.

Uehara e seu relacionamento

Curiosamente, na vida os relacionamentos são cheios de confusões e mal entendidos, fora que só para achar alguém que você se dê bem e que goste das mesmas coisas que você já vai ser um trabalho colossal.

O clima nem sempre é agradável

Não importa se é um dia ensolarado na piscina ou um dia chuvoso: sempre irá parecer um sonho. Guarda-chuvas te protegem perfeitamente e sempre há um lugar para se abrigar.

A solidão de Xiaomin

De acordo com a minha experiência, de quem toma chuva três vezes por semana em dias de verão, os guarda-chuvas raramente protegem de verdade, dias ensolarados me deixam grudando e raramente há um equilíbrio das forças para que seja um dia agradável, a não ser que você viva da herança dos seus avós e não precise trabalhar.

A comida nem sempre fica bonita

Se estiver no mundo de algum animê, basta jogar tudo que encontrar pela frente dentro de uma panela, incluindo as colheres, e logo sairá uma comida bela e saborosa.

A comida nos animês

No mundo que eu e os meros mortais preguiçosos vivem, basta um simples descuido para que todo seu esforço cozinhando vá por água abaixo e seu prato fique uma merda. Se quiser impressionar alguém, comida é uma péssima opção.

A escola era realmente tão divertida?

Impossível que eu sou a única pessoa do mundo otaku que sofreu bullying ou que achava super chato estar na escola fazendo exercícios entediantes. Por algum motivo a escola da maioria dos animês é feliz.

Escola nos animês

Os alunos parecem não se importar de estar na escola, existem inúmeras atividades e uma quantidade quase improvável de casais para serem formados. Isso sem falar das professoras que tem sempre a aparência jovial e são extremamente presentes na vida dos alunos.

Não vai ter uma garota com seios grandes se esfregando em você

Um dos maiores clichês dos animês é a garota peituda que fica se esfregando no protagonista por um total de zero motivo. Infelizmente a vida é um pouco mais difícil que isso e coisas assim raramente acontecem.

Deusa Hestia, Dungeon ni Deai

Essa sexualização da mulher presente em muito animês ainda vai ser assunto de um texto específico aqui no blog. Seria legal encontrar uma mulher para falar sobre isso. Quem sabe a Senhorita Universo não possa me ajudar com isso, não é mesmo?

Seu rosto não é perfeito

Rostos completamente lisos mesmo na adolescência? Esqueça, você vai ter espinhas a sua vida inteira, é assim que as coisas funcionam.

A perfeição de Tendou Karen

O melhor que podemos fazer é ir ao dermatologista e deixa a perfeição apenas para as animações.

É impossível nascer com o cabelo verde, sinto muito

Por mais que a minha amiga Bárbara tente ter um cabelo de todas as cores possíveis, e consiga às vezes, nascer com o cabelo colorido simplesmente não vai acontecer a menos que você tenha uma doença genética que vai te matar em menos de dois anos.

A beleza encantadora de CC

O lado bom dessa história é que somos livres para pintar ou descolorir os cabelos, assim eu ainda posso sonhar com um cabelo completamente branco um dia. Quem sabe um dia alguma mutação genética provocada pelo excesso de ondas vagando pelo Universo não seja gentil conosco!?

Seus dentes são amarelos, procure um dentista

Além dos rostos milimetricamente perfeitos, os personagens dos animês também costumam ter os dentes brancos e retos. Mais lindos que seus olhos grandes, apenas seus sorrisos perfeitos que em muito se parecem com o meu (rs).

O sorriso perfeito de Jiraiya

Parando para pensar nisso, fico curioso para saber como seria uma produção onde os personagens tivessem características mais próximas do mundo real que da ficção. Mas se não for para sonhar e desconectar do mundo, qual o sentido de ver animê afinal de contas?

Sua professora tem 70 anos

Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu um anime em que a professora é uma linda mulher na casa dos seus 20 anos! Curiosamente quando eu estudava, e também quando eu trabalhava na escola, maioria dos professores já haviam passado da casa dos 40 há algum tempo.

As professoras nos animês

Provavelmente esse tema é recorrente por ser algo que mexe como imaginário das pessoas, afinal, quem nunca teve um amor platônico por uma professora?

Temos um final normal por aqui

Chegamos ao final do texto, um final normal, e com ele aproveitaremos para citar outra diferença entre os animês e a realidade: na vida nem sempre os finais são felizes.

A própria natureza da vida impede que tenhamos um final feliz ou que as coisas permaneçam estáticas em um estado de felicidade.

Espero que tenha dado boas risadas e parado para refletir sobre como os animes são diferentes da vida real.

“A vida não é um anime.”

Marcos Mariano, 2020

Desesperadamente
Marcos Mariano

3 thoughts on “Diferenças entre os animês e a vida real

  1. Se formos pensar a fundo, os animes geralmente seguem o famoso padrão de vida inalcançável que todo mundo quer alcançar a qualquer custo, o namoro perfeito, a aparência perfeita, a vida perfeita. E quem estiver assistindo, pode se sentir mal ou bem, dependendo da autoestima.

    Para as pessoas que querem fugir da realidade, é ótimo, é uma oportunidade de sonhar e esquecer seus próprios problemas com a facilidade do mundo ficcional.

    Ja para quem se ilude querendo a realidade deste jeito e ficando mal por não ser, é péssimo. Afinal, o mundo não são flores e não há nada do que possamos fazer.

    É tudo um tremendo ponto de vista, dependendo de como você escolhe enxergar o mundo.

    E sobre a sexualização da mulher, desculpe amigo, fica pra próxima.

    Eu não gosto muito de comentar esses temas, mas provavelmente muitas outras mulheres vão amar.

  2. Realmente, é tudo um ponto de vista. Boa parte desse texto tem caráter cômico, exceto as partes em que digo o contrário.

    Tudo bem senhorita, fica para a próxima rs. Com certeza, teremos centenas de pessoas querendo falar sobre kkkkkkkk

Deixe uma resposta