Tag Não-ficção

Inimigo Mortal

Inimigo Mortal
Um epidemiologista reconhecido internacionalmente compartilha histórias da linha de frente da guerra contra doenças infecciosas e explica como estar preparado para epidemias que desafiam a ordem mundial. Diferentemente de desastres naturais, cuja destruição está concentrada em uma área limitada por um período de dias, doenças infecciosas têm o terrível poder de destruir o cotidiano das pessoas em escala global, consumindo de forma avassaladora recursos públicos e privados e interrompendo o comércio e o transporte. No mundo de hoje, é muito fácil deslocar pessoas, animais e materiais pelo planeta, mas os mesmos avanços que tornaram as infraestruturas do mundo moderno tão eficientes também transformaram as epidemias e pandemias em situações praticamente inevitáveis. Como as explosões da Covid-19, Ebola, Mers e Zika demonstraram, estamos lamentavelmente despreparados para lidar com o colapso mundial. Então o que pode – e deve – ser feito para nos proteger do inimigo mais mortal dos seres humanos? Com base no que há de mais recente nas ciências médicas, em estudos de caso, pesquisas e lições epidemiológicas aprendidas duramente, Inimigo mortal explora os recursos e programas que precisamos desenvolver para nos manter a salvo de doenças infecciosas. Os autores mostram como devemos enfrentar essa nova realidade em que muitos antibióticos não curam mais, o bioterrorismo é uma certeza e a ameaça de outra pandemia desastrosa é cada vez maior. Somente entendendo os desafios que estamos enfrentamos podemos impedir que o impensável se torne inevitável.

Talvez você deva conversar com alguém

Talvez você deva conversar com alguém
De modo geral, buscamos a ajuda de um terapeuta para melhor compreender as angústias, os medos, a culpa ou quaisquer outros sentimentos que nos causam desconforto e sofrimento. Mas quantos de nós já paramos para perguntar: o terapeuta está imune à gama de questões que ele auxilia seus pacientes a dirimir e superar, dia após dia? A autora best-seller e terapeuta Lori Gottlieb nos mostra que a resposta a essa pergunta traz revelações surpreendentes. Quando ela se vê emocionalmente incapaz de gerenciar uma situação que perturba sua vida, uma amiga lhe faz uma sugestão: talvez você deva conversar com alguém. Combinando histórias reunidas a partir de sua rica trajetória como terapeuta (distribuídas entre quatro personagens inesquecíveis) à sua própria experiência como paciente, Lori nos oferece um relato afetuoso, leve e comovente sobre a universalidade de nossas perguntas e ansiedades, e joga luz sobre o que há de mais misterioso em nós, afirmando nossa capacidade de mudar nossas vidas. Uma jornada emocionante de autodescoberta, uma homenagem à natureza humana e um lembrete sobre a importância de sermos ouvidos, mas também de sabermos ouvir. Um livro sobre a importância dos encontros, dos afetos e da coragem de todos os que partimos para a aventura do autoconhecimento.

A coragem de ser imperfeito

A coragem de ser imperfeito
Brené Brown ousou tocar em assuntos que costumam ser evitados por causarem grande desconforto. Sua palestra a respeito de vulnerabilidade, medo, vergonha e imperfeição já teve mais de 25 milhões de visualizações. Viver é experimentar incertezas, riscos e se expor emocionalmente. Mas isso não precisa ser ruim. Como mostra Brené Brown, a vulnerabilidade não é uma medida de fraqueza, mas a melhor definição de coragem. Quando fugimos de emoções como medo, mágoa e decepção, também nos fechamos para o amor, a aceitação e a criatividade. Por isso, as pessoas que se defendem a todo custo do erro e do fracasso acabam se frustrando e se distanciando das experiências marcantes que dão significado à vida. Por outro lado, as que se expõem e se abrem para coisas novas são mais autênticas e realizadas, ainda que se tornem alvo de críticas e de inveja. É preciso lidar com os dois lados da moeda para se ter uma vida plena. Em sua pesquisa pioneira sobre vulnerabilidade, Brené Brown concluiu que fazemos uso de um verdadeiro arsenal contra a vergonha de nos expor e a sensação de não sermos bons o bastante, e que existem estratégias eficazes para serem usadas nesse “desarmamento”. Neste livro, ela apresenta suas descobertas e estratégias bem-sucedidas, toca em feridas delicadas e provoca grandes insights, desafiando-nos a mudar a maneira como vivemos e nos relacionamos.

O Fantástico mundo da filosofia

O Fantástico mundo da filosofia
A Filosofia como você nunca viu!!! Heráclito, pensador grego espirituoso, nos guia em um passeio de canoa enquanto navegamos através dos grandes debates do pensamento filosófico. Ao seguirmos nosso caminho pelo rio sinuoso da Filosofia, conhecemos os pré-socráticos, primeiros a questionar a mitologia e a refletir sobre o mundo ao redor; além disso, encontramos as disciplinas da lógica, da percepção e da epistemologia; encaramos o problema central do livre-arbítrio, e testemunhamos discussões históricas sobre a existência de um Deus. Pelo caminho, pensadores famosos como René Descartes e Immanuel Kant expõem suas obras em conversas claras e descontraídas. A prosa de Patton, combinada com a arte preciosa de Cannon, torna divertida a busca pelas verdades fundamentais, concedendo o amor pela sabedoria a qualquer pessoa que deseje pegar um remo e se juntar à viagem. Elogios à obra: “Se esse não for o ideal platônico de uma graphic novel sobre Filosofia, não sei mais o que pode ser. O fantástico mundo da Filosofia de Michael F. Patton e Kevin Cannon é maravilhosa, e esse ponto é provavelmente o único sobre o qual todos os filósofos apresentados neste livro concordariam.” – Jim Ottaviani, autor de The Imitation Game, Feynman e Primates “Michael F. Patton e Kevin Cannon conseguiram uma proeza: criaram uma rigorosa introdução à Filosofia em forma de história em quadrinhos. Nesses tempos de ataques ideológicos, econômicos e políticos contra a educação, é essencial acender a chama do amor pelo aprendizado e pela curiosidade nas pessoas – tanto nas mais velhas quanto nas mais jovens. Com humor consistente, ritmo maravilhoso e ilustrações brilhantes, Patton e Cannon apresentam aos leitores explicações simples, embora precisas, das ideias básicas de várias figuras canônicas da história da Filosofia, conectam essas ideias a outras disciplinas e a todo instante apresentam a quem lê os grandes diálogos da tradição intelectual dita ocidental.” – Mark Lance, professor de Filosofia e professor de Justiça e Paz na Universidade de Georgetown (EUA). “O fantástico mundo da Filosofia é inteligente, espirituoso e atualizado. Divertindo sem simplificar demais, Patton e Cannon dão vida ao mundo da Filosofia. Para aqueles ainda não expostos aos prazeres da Filosofia, esse é um ótimo ponto de partida.” – Todd May, Professor de Humanidades na Universidade Clemson (EUA)

Antropoceno

Antropoceno
Em seu primeiro livro de não ficção, o autor de A culpa é das estrelas analisa as contradições e as maravilhas da humanidade. Que John Green é um dos autores contemporâneos mais queridos pelo público não é novidade. Sua sensibilidade e seu talento para traçar histórias inesquecíveis tornaram seus romances sucessos mundiais, e agora o premiado autor nos oferece uma necessária dose de esperança em sua estreia na não ficção. Refletindo sobre temas que vão de Super Mario Kart e o pôr do sol a pinturas rupestres e o hábito de procurar estranhos no Google, os ensaios perspicazes e bem-humorados reunidos nesta coletânea são uma celebração genuína da capacidade humana de se apaixonar pelo mundo. O termo “Antropoceno” foi proposto para designar a era geológica atual, em que os seres humanos remodelaram o planeta e sua biodiversidade de maneira profunda, para o bem e para o mal. A humanidade é cheia de facetas contraditórias e invenções intrigantes, e John Green se propõe a avaliá-las de forma nada imparcial. Afinal, no Antropoceno, não há observadores desinteressados, apenas participantes. Como o próprio autor reconhece, esses ensaios também são, de certa forma, uma autobiografia. Escrito em parte durante o turbulento período de pandemia global e baseado em seu podcast de sucesso, Antropoceno: notas sobre a vida na Terra nos dá a segurança de que podemos até desconhecer o caminho que estamos seguindo, mas com certeza estamos em boa companhia.

Orçamento sem falhas

Orçamento sem falhas
Quando o assunto é dinheiro, não dá para achar que um só discurso vai funcionar para todas as pessoas. Afinal, o ponto de partida de cada uma não é o mesmo: o caminho de quem já nasce em uma família com boa situação financeira é muito diferente do de quem trabalha desde adolescente para ajudar em casa. Mas isso não quer dizer que quem passa aperto todo mês para pagar as contas não pode se organizar, aprender a poupar, investir e ter uma vida financeira saudável. Muito pelo contrário. Na verdade, bastam educação financeira e orientações para que o sonho — seja ele a casa própria, o carro, o intercâmbio, ou mesmo quitar uma dívida — esteja a um passo de virar realidade. Foi pensando nisso que Nathália Rodrigues, que ficou conhecida no Brasil inteiro como Nath Finanças, se tornou uma voz de destaque sobre a forma como usamos o dinheiro. Com humor e um conteúdo acessível, a administradora e orientadora financeira virou um fenômeno na internet ao trazer dicas simples e valiosas que ajudam milhares de pessoas a saírem do vermelho e se organizarem financeiramente. Em Orçamento sem falhas, Nath aborda as principais questões que assolam o nosso bolso — nossa relação com cartão de crédito, taxa de juros, lista de compras, planejamento, metas, a diferença entre desejo e necessidade, entre outras —, para ajudar de uma vez por todas quem se enrolou nas dívidas ou só vive para pagar boleto. O livro ainda conta com um projeto gráfico moderno e colorido, repleto de ferramentas práticas para ajudar o leitor, como tabelas, listas e glossário. Para completar, a autora ganha o reforço do ilustrador Ric Sales, que traz para as páginas do livro charges divertidas sobre nossa relação com o dinheiro no dia a dia.

A Arte da Guerra

A Arte da Guerra
O maior tratado de guerra de todos os tempos em sua versão completa em português. "A Arte da Guerra" é sem dúvida a Bíblia da estratégia, sendo hoje utilizada amplamente no mundo dos negócios, conquistando pessoas e mercados. Não nos surpreende vê-la citada em filmes como Wall Street (Oliver Stone, 1990) e constantemente aplicada para solucionar os mais recentes conflitos do nosso dia-a-dia. Conheça um dos maiores ícones da estratégia dos últimos 2500 anos.

Hábitos Atômicos

Hábitos Atômicos
Pequenas Mudanças, Resultados Impressionantes. Não importa quais sejam seus objetivos, Hábitos Atômicos oferece um método eficaz para você se aprimorar — todos os dias. James Clear, um dos mais expoentes especialistas na criação de hábitos, revela as estratégicas práticas que o ensinarão, exatamente, como criar bons hábitos, abandonar os maus e fazer pequenas mudanças de comportamento que levam a resultados impressionantes. Se enfrenta dificuldades para mudar seus hábitos, o problema não é você, é o sistema escolhido. Os maus hábitos se repetem sem parar porque você está usando o sistema errado, e não porque não queira mudar. Assim, suas limitações não são a complexidade de seu objetivo, mas a inadequação de seus sistemas. Neste livro, você aprenderá um método comprovado capaz de levá-lo a novos patamares. Clear é conhecido por sua habilidade em transformar tópicos complexos em comportamentos simples que podem ser facilmente aplicados à vida cotidiana e profissional. Seu método, desenvolvido a partir de conceitos comprovados da biologia, psicologia e neurociência, é um guia descomplicado para tornar os bons hábitos inevitáveis e os maus, impossíveis. Ao longo desta jornada, os leitores serão inspirados e entretidos por histórias de medalhistas de ouro em Olimpíadas, artistas premiados, líderes de negócios, médicos que salvam vidas e astros da comédia que usaram a ciência dos pequenos hábitos para dominar seu ofício e se lançar ao topo de suas áreas de atuação. Remodela sua forma de pensar em avanço e sucesso e traz as ferramentas e estratégias de que precisa para transformar seus hábitos — seja você técnico de um time almejando a conquista de um título, uma organização com pretensões de reinventar seu setor ou simplesmente um indivíduo que deseja parar de fumar, perder peso, reduzir o estresse ou atingir qualquer outra meta.

Como fazer amigos e influenciar pessoas

Como fazer amigos e influenciar pessoas
Você pode ir atrás do trabalho que mais deseja - e conseguir! Você pode transformar o seu trabalho atual em algo cada vez melhor! Você pode se ver diante de qualquer situação e revertê-la a seu favor. Os conselhos sólidos, de eficiência comprovada ao longo de décadas, de Dale Carnegie, fizeram com que inúmeras pessoas subissem as escadas em direção ao sucesso, tanto em sua vida profissional quanto pessoal. Um dos livros mais inovadores de todos os tempos, e que permanece completamente atual, Como fazer amigos e influenciar pessoas vai ensinar você: Seis maneiras de fazer com que as pessoas gostem de você. Doze maneiras de conquistar as pessoas para pensarem como você. Nove maneiras de mudar as pessoas sem causar ressentimentos. ... e muito mais! Alcance todo seu potencial. Uma leitura obrigatória para o século XXI. Este livro foi apresentado ao público por ocasião de sua primeira edição em 1937.

Fodeu Geral: Um Livro Sobre Esperança?

Fodeu Geral: Um Livro Sobre Esperança?

O Poder do Hábito

O Poder do Hábito
Durante os últimos dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. Parou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela – ou seja, seus hábitos – foram modificados de maneira fundamental para que todas essas mudanças ocorressem. Há duas décadas pesquisando ao lado de psicólogos, sociólogos e publicitários, cientistas do cérebro começaram finalmente a entender como os hábitos funcionam – e, mais importante, como podem ser transformados. Embora isoladamente pareçam ter pouca importância, com o tempo, têm um enorme impacto na saúde, na produtividade, na estabilidade financeira e na felicidade. Com base na leitura de centenas de artigos acadêmicos, entrevistas com mais de trezentos cientistas e executivos, além de pesquisas realizadas em dezenas de empresas, o repórter investigativo do New York Times Charles Duhigg elabora, em O poder do hábito, um argumento animador: a chave para se exercitar regularmente, perder peso, educar bem os filhos, se tornar uma pessoa mais produtiva, criar empresas revolucionárias e ter sucesso é entender como os hábitos funcionam. Transformá-los pode gerar bilhões e significar a diferença entre fracasso e sucesso, vida e morte. Duhigg conclui por que algumas pessoas e empresas têm tanta dificuldade em mudar, enquanto outras o fazem da noite para o dia. Descobre, por exemplo, como hábitos corretos foram cruciais para o sucesso do nadador Michael Phelps, do diretor executivo da Starbucks, Howard Schultz, e do herói dos direitos civis, Martin Luther King, Jr.: “Eles tiveram êxito transformando hábitos. Todos começam com um padrão psicológico. Primeiro, há uma sugestão, ou gatilho, que diz ao seu cérebro para entrar em modo automático e desdobrar um comportamento. Depois, há a rotina, que é o comportamento em si. Para alterar um hábito, é preciso modificar os padrões que moldam cada aspecto de nossas vidas. Entendendo isso, você ganha a liberdade – e a responsabilidade – para começar a trabalhar e refazê-los”, diz o autor. Um dos exemplos citados pelo autor diz respeito a ele próprio. Duhigg explica como conseguiu parar de consumir cookies no meio do dia de trabalho ao compreender o hábito que o levava diariamente a uma cafeteria para comê-los, mesmo sem fome – as visitas diárias ao lugar ocorriam por necessidade de socialização. “Refiz o hábito e, agora, pelas 15h30, levanto da minha mesa e procuro alguém para conversar por 10 minutos. E não como um cookie há seis meses”, conta ele. A prática é um dos segredos para a mudança: “Tarefas que parecem incrivelmente complexas no início, como aprender a tocar violão e falar uma língua estrangeira, podem se tornar muito mais fáceis depois de executadas inúmeras vezes. Maus hábitos, como fumar e beber demais, são superados quando aprendemos novas rotinas e a praticamos incessantemente.” Há ainda, segundo Duhigg, os chamados “hábitos mestres”, capazes de desencadear uma série de reações no modo da pessoa organizar sua própria vida. Um bom exemplo de um hábito mestre é o exercício físico. “Quando as pessoas começam a se exercitar regularmente, começam a mudar outros comportamentos que não estão relacionados à atividade física. Passam a comer melhor e a levantar da cama mais cedo. Fumam menos e se tornam mais pacientes. (...) Não está completamente claro porque isso ocorre, mas está provado que exercício é um hábito mestre, que propaga mudanças em todos os aspectos da vida.”