Como funciona a tecnologia blockchain

Tecnologia blockchain, o que é e como funciona

Você já ouviu falar em tecnologia blockchain? Esse termo sempre surge na mente quando o assunto é bitcoin e criptomoedas. Estamos falando de um método tecnológico que é aplicado para o processo de registro de informações distribuídas em blocos criptografados.

Tecnologia blockchain

Dessa forma, trata-se de um banco de dados que pode ser usado para diferentes objetivos.

Explicando o blockchain

Esse recurso tecnológico é considerado revolucionário. Para alguns especialistas ele poderá desencadear ou apressar a quarta revolução industrial, referida constantemente como “Indústria 4.0”.

Esse fator começa a se tornar em realidade quando as empresas passaram a usar a tecnologia blockchain para diferentes frentes de atendimento e de fluxo operacional.

Aplicações do blockchain

Esse recurso tecnológico é utilizado em diferentes áreas, como citadas a seguir:

Processo de transparência

Nesse processo possibilitamos a disponibilidade de informações e de dados para todos os usuários comuns de uma empresa, organização pública ou abrangência geográfica protegida por uma rede.

Porém, é importante que cada usuário tenha uma identificação ou ID para acessar todos os dados disponíveis.

Segurança

Considerando que todas as transações  realizadas usando a tecnologia blockchain são criptografadas, temos um processo muito seguro.

Por outro lado, ainda não há órgão responsável por fiscalizar o uso dessa tecnologia, mas não é possível alterar as características da rede para benefício próprio, pois todo o sistema seguirá padrões de segurança.

Rastreabilidade

Esse recurso tecnológico também proporciona aos usuários inserir regras para as suas transações. Dessa maneira é permitido rastrear uma operação de modo a identificar inconsistências.

Velocidade para a entrega

Quando falamos na tarefa de entrega de produtos, serviços e dados para parceiros e clientes, essa tecnologia pode ajudar muito. Esse recurso tecnológico é livre de burocracia, sendo assim, as transações são muito mais ágeis, sem solicitar aprovações prévias.

Imutabilidade

Ao aplicar esse método temos a imutabilidade, ou seja, a tecnologia não pode ser corrompida ou alterada.

Blockchain no Bitcoin

O uso de moedas digitais já é uma realidade na internet atual e promete ser algo comum no futuro próximo substituindo de vez o dinheiro em papel.

No caso dessa tecnologia, ao utilizar o protocolo do Bitcoin temos procedimento que impede o gasto duplo consiste em agrupar as últimas transações da rede em uma espécie de “bloco” já reconhecido através de um código ou “hash” na rede.  

Posteriormente, as novas transações são registradas no sistema repetindo o processo que formará a corrente de blocos que seguirão uma ordem cronológica. Esse processo gerou o termo blockchain.

Sendo assim, cada bloco não apresenta somente informações das transações já existente, mas também a solução da Prova de Trabalho (Proof-of-Work).

Essa prova é importante para que o mesmo bloco seja aceito e validado em favor dos usuários da rede.

Porém, para grande parte desse mecanismo funcionar boa parte das redes precisam ser públicas. No processo, as redes e os procedimentos precisam ser validados e registrados incrementando a corrente à medida que mais blocos são agregados.

Blockchain nos Bancos

A tecnologia blockchain refere-se a um tipo de rede que funciona através de blocos encadeados, com segurança e impressão digital. São conteúdos, códigos e autorizações que são carregadas, mas com o bitcoin a transação financeira é o principal conteúdo.

Porém, depois do primeiro bloco, o bloco posterior contém a impressão digital do anterior mais seu próprio conteúdo. Assim as duas informações, gera sua própria impressão digital.

Aplicações no Itaú, Santander e BNDES

Considerando o uso e funcionamento dessa tecnologia costuma ser chamada em algumas transações de bancos tradicionais como “protocolo da confiança”, esse processo foi testado pelo Itaú.

Assim como ocorre com o bitcoin, é possível eliminar intermediários como cartórios e até documentação dos próprios bancos.

Prevendo um futuro inovador, essa tecnologia é usada pelos bancos tradicionais para assegurar a confiança entre algumas operações financeiras, como transações internacionais ou a negociação de contratos.

No Brasil, por exemplo, bancos como Santander e Itaú já utilizam esse recurso tecnológico, sendo que o BNDES está testando o uso do blockchain com bancos alemães.

O Banco Central brasileiro pretende adotar esse recurso tecnológico, inicialmente, para alguns serviços pontuais para testar a segurança.

Em todo o mundo, muitos bancos usam essa ferramenta para acelerar transferências internacionais entre seus clientes, permitindo que um usuário use ou envie dinheiro do Brasil para o Reino Unido com a possibilidade de converter a quantia em reais para libra esterlina.

Através do uso de blocos de dados, a transferência, que antes era feita em dois dias, foi reduzida para apenas duas horas.

Criptografia com blockchain

Quando falamos que o uso desse recurso tecnológico é mais seguro, é importante que a segurança seja baseada na criptografia.

Por meio da criptografia temos o uso da chave pública que autentica o acesso do usuário. Essa certificação é importante para reconhecer cada tipo de usuário e evitar o acesso a invasores ou fakes.

Sendo assim, cada usuário necessita ter uma chave privada, depois a chave privada poderá gerar uma chave pública que é referida como “endereço bitcoin”. O endereço pode ser entregue para qualquer pessoa que precisa realizar uma transação.

Através do endereço, um usuário poderá encaminhar moedas digitais para a pessoa ou empresa que poderá sacar ou transferir os valores usando a sua moeda privada e particular.

Dessa forma, o usuário pode usar ou gastar as moedas usando a chave privada para acessar a transação.

Tecnologia Blockchain é o futuro?

Em tempos de automação, inteligência artificial e geração de uma nova indústria, esse tipo de tecnologia promete ser o real futuro para as transações financeiras digitais a serem realizadas com mais segurança.

Pagamento por aproximação

Além de servir pessoas físicas, pode ser usada por empresas desde que as corporações conheçam o potencial real desse tipo de tecnologia.

Inicialmente, as empresas do presente e do futuro precisarão realizar um bom planejamento estabelecendo positiva conexão entre as possibilidades dessa ferramenta com as necessidades do segmento de mercado.

Trata-se de um assunto que requer clareza e planejamento por parte de pequenas, médias e grandes empresas, além do usuário pessoa física. É importante ter atenção para administrar saldos, transferências, pagamentos e conversões de moedas.

Em certos casos, para empresas e instituições é possível procurar a orientação de profissionais especializados em recursos tecnológicos para os negócios.

Com a dedicação de um profissional é possível tornar o processo mais eficiente e seguro.

No futuro, transações que não utilizam cheques ou dinheiro virtual serão cada vez mais comuns e poderão popularizar recursos como o blockchain nos sistemas digitais dedicados aos serviços financeiros.

Seja para o presente ou para o futuro, é importante conhecer os métodos digitais, as moedas digitais e todos os processos referentes à implantação do blockchain nas contas pessoais e da empresa. 

Conclusão

Portanto, neste artigo apresentamos um recurso referente a um registro que ocorre em ordem cronológica em todas as transações na rede. Podemos afirmar que o blockchain é público, único, replicado, podendo ser compartilhado entre os participantes do sistema.

Ele permite manutenção e atualização de forma descentralizada e voluntária.

Nesse processo feito em corrente, quanto mais antigo o bloco antes registrado, mais impraticável será a reversão de certas operações, principalmente, as mais seguras e realizadas em plataformas confiáveis.

Sendo assim, com a adição ou uso de novas transações com bitcoins temos a criação de novas unidades geradas no bloco registrado. Na  prática, cada bloco apresenta informações de transações e referências do bloco anterior para garantir e reforçar o processo de validação.

Seja para o futuro ou para o presente, apresentamos uma tecnologia que pretende acelerar e revolucionar as transações financeiras em diferentes escalas de negócio.

Carinhosamente
Marcos Mariano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *