O Apanhador no Campo de Centeio – Resenha

O Apanhador no Campo de Centeio

Sinopse: Um garoto americano de 16 anos relata com suas próprias palavras as experiências que ele atravessa durante os tempos de escola e depois revela tudo o que se passa em sua cabeça. O que será que um adolescente pensa sobre seus pais, professores e amigos?

O apanhador no campo de centeio, J.D. Salinger

Porque esse livro pode mudar sua vida?

Esse é um daqueles livros que vão mudando sua maneira de ver o mundo, pouco a pouco. É simplesmente incrível essa mágica que o livro tem de ir consumindo seu ser lentamente. Eu provavelmente demorei uns quinze dias pra começar a entender porque Holden Caulfield é um personagem tão marcante.

Acredito que a mágica nessas histórias que vamos digerindo pouco a pouco é o fato de elas continuarem com a gente por muito tempo depois de terminarmos o livro. Nos dias que se passaram após a leitura desse livro, senti uma sensação estranha, como se pedaços de mim estivessem pouco a pouco se encaixando. Então, no meio da minha próxima leitura os pedaços se encaixaram.

Entendendo Holden Caulfield

Holden se irrita com uma facilidade imensa e odeia a maioria das coisas. Procure algo que ele gosta, e falhe miseravelmente. Ele não gosta de seus professores, quer evitar seus pais… bom, ele gosta da sua irmãzinha. E eu juro que o tempo todo dá uma sensação estranha de que ele vai cometer alguma loucura. Acho que amores exagerados e não saudáveis sempre causam essa sensação.

Talvez pela idade, talvez pelos lugares que já passou, nosso querido senhor Caufield sempre está ansioso, querendo que algo aconteça. Me identifiquei tanto com esse sentimento, de simplesmente não conseguir desligar.

O mundo é realmente tão hostil assim?

Aos olhos de Holden, o mundo todo parece hostil. Aqui podemos refletir um pouco e rapidamente perceber que na maioria das vezes o mundo é sim hostil, mas nós também temos uma grande participação nisso. A maneira que ele olha pra tudo, se irritando, sendo impaciente, com certeza faz tudo parecer pior.

Por exemplo, quando ele vai conversar com seus colegas de quarto ou professores, ele já começa citando porque aquela pessoa o irrita, ou nas suas palavras, o deixa aporrinhado. Às vezes coisas que seriam pequenas pra qualquer outra pessoa, são imensas para Holden.

No que eu pensei enquanto lia O Apanhador no Campo de Centeio

Devo confessar que boa parte da minha leitura foi esperando o momento que Holden entraria em colapso e acabaria em um campo de centeio refletindo sobre a vida. Pensando bem, talvez o campo calmo que eu estava esperando, seja para ele simplesmente a companhia da sua irmãzinha, que ele tanto ama. Eu realmente fiquei encantado com o quanto ele ama aquela pestinha.

O livro me deu uma sensação de estar esperando por algo, similar ao que Holden sente constantemente. Podemos refletir se isso é proposital, e eu sei que é, o autor é um fucking gênio com o cérebro do tamanho de um planeta, para nossa alegria ele decidiu se dedicar à escrita. Quer dizer, ele pode ter feito outras coisas também, eu não sei. ELE PLANTAVA COUVES. Whatever… isso não teria nada a ver com os sentimentos confusos e turbulentos do nosso personagem.

Conforme o livro se aproxima do final, você começa a perceber que talvez, preste atenção: talvez esse grande momento que você está esperando nunca chegue. E talvez você tenha que se contentar com as pequenas coisas que vão acontecer durante a jornada. Esse é o meu pensamento principal sobre o livro – perceber a vida como uma sequência de pequenas coisas acontecendo e não como um grande evento.

Se quiser evitar um pequeno spoiler, aqui dizemos adeus

O tempo que se passa entre o momento que Holden é expulso do colégio e o momento que ele entra no zoológico com a sua irmãzinha não é maior que uma semana, mas parece uma eternidade. Incrível como tantas coisas podem acontecer e tantos pensamentos possam passar por você em tão pouco tempo.

Após uma grande espera por um grande evento, um colapso, eu ouvi alguém dizer um campo centeio? Nada disso acontece, a história simplesmente continua fluindo, e sem nenhum aviso, assim como a vida, ela simplesmente termina. Porque nós precisamos tanto de um final marcante?

O fato de o livro simplesmente terminar é o que mais me chamou a atenção, seria o mesmo que estar lendo essa resenha esperando uma conclusão sobre tudo isso e do nada a resenha simplesm———

Carinhosamente
Marcos Mariano

15 thoughts on “O Apanhador no Campo de Centeio – Resenha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *