O brasileiro não gosta de ler?

Os hábitos de leitura dos brasileiros : O desafio de formar novos leitores

Com certeza você já ouviu ao menos uma vez na vida a frase: “O brasileiro não gosta de ler”, ou talvez, você seja uma dessas pessoas que não gosta de ler. Eu trabalho em bibliotecas há 7 anos, sendo 4 desses em escolas públicas e posso afirmar: temos um grande desafio de formar novos leitores.

Algo que percebi durante esse tempo passando meus dias em uma biblioteca é que geralmente são sempre as mesmas pessoas que pegam livros, formar um novo leitor é sempre um desafio. Talvez pela maneira que a leitura é tratada na escola ou pelo difícil acesso à leitura, vamos perdendo leitores todos os anos.

Por que é tão difícil formar novos leitores?

44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro, aponta pesquisa retratos da leitura

De acordo com a pesquisa “Retratos da leitura no Brasil” quase metade da população brasileira não tinha o hábito da leitura em 2018. A média de livros por pessoa era de 4.96 sendo que maior parte desses livros não são lidos em sua totalidade.

Esse baixo índice de leitura nos afeta muito em testes educacionais como o Pisa, onde 51% dos nossos alunos de 15 e 16 anos tem um nível abaixo de 2 em leitura, sendo esse o nível básico. Fonte: Edição do Brasil

Nesse texto vamos tentar entender um pouco sobre os motivos que levem o brasileiro a ler menos que as pessoas de outros lugares. Vamos considerar dados culturais, econômicos e educacionais para embasar nosso ponto de vista, além de uma ampla pesquisa com dados disponibilizados pela internet.

Porque os brasileiros leem pouco

Um dos principais motivos do baixo índice de leitura no Brasil, é o preço elevado do livro somados a uma educação pública que falha em formar leitores. É difícil falar sobre leitura no Brasil quando grande parte das famílias nem sequer consegue colocar alimento na mesa para três refeições diárias.

Além dos problemas financeiros, temos também a escola que muitas vezes falha em criar leitores. Geralmente os alunos apenas leem para realizar uma determinada atividade ou, porque são obrigados a ler para o vestibular ou ENEM.

Aqui estamos nos limitando a falar sobre livros e ignorar os mangás, que poderiam sim formar leitores, já que este é muito menos acessível, tanto pela falta de informações quanto pelo preço ainda elevado se considerarmos a quantidade de volumes em cada obra.

Falta de acesso à leitura

Já falamos aqui na Pousada Nerd anteriormente, sobre maneiras de ler sem gastar nada, porém muitas vezes a falta de informação sobre como ter acesso à leitura pode ser também uma barreira de entrada.

De acordo com dados do CRB (Conselho Regional de Biblioteconomia), o Brasil possui cerca de uma biblioteca para cada 30.000 habitantes, enquanto nos Estados Unidos esse número é de uma biblioteca para cada 19.000 habitantes.

Também de acordo com dados do CRB, mais de 97% dos municípios brasileiros possuem bibliotecas ou espaços públicos de leitura. Apesar de essa ser uma ótima notícia, devemos lembrar que a existência de um espaço não quer dizer necessariamente que ele está em boas condições de uso.

Bibliotecas públicas são uma das nossas esperanças

Outro fator a ser considerado é a localização de tais bibliotecas, digo por experiência própria, pois trabalho em uma biblioteca há sete anos. Boa parte das bibliotecas se encontram em áreas centrais, servindo a colégios particulares e isolando a periferia.

Baixo índice de leitura no Brasil

A pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil” mostra dados assustadores sobre nosso baixíssimo nível de leitura. Os dados revelados por essa pesquisa levantaram discussões em diversos portais que tentam promover o acesso à leitura.

De acordo com a 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro, o brasileiro tem uma média anual de 4,96 livro por habitante. No entanto, apenas 2,43 desses livros foram lidos do início ao fim. Isso evidencia que o brasileiro ainda não considera a leitura uma prática diária.

Leiturinha, acessado em 01/12/2020

O desempenho no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), prova feita em 70 países com estudantes entre 15 e 16 anos, também é desanimador. O resultado da última avaliação mostrou que 51% dos estudantes estão abaixo do nível 2 em leitura, que é considerado o patamar básico.

Edição do Brasil, acessado em 01/12/2020

Esses dados acendem uma luz vermelha sobre o rumo que a leitura está tomando em nosso país e nos leva a pensa em maneiras de reverter isso.

Os caminhos para o brasileiro ler mais

Diante de tudo isso, uma das principais maneiras de reverter esse quadro é através da educação, e nisso até Gojo Satoru de Jujutsu Kaisen vai concordar. A educação é o nosso pilar mais forte para mudar essa situação, e para isso, precisamos fazer com que a escola volte a formar leitores, e não apenas pessoas que fazem as leituras obrigatórias do vestibular.

Outra coisa que poderia ajudar muito, é a descentralização dos espaços de leitura, os aproximando da periferia e afastando dos centros, onde as pessoas provavelmente já possuem acesso a livros.

Precisamos também divulgar as maneiras através das quais uma pessoa pode ler gratuitamente (ou gastando muito pouco), sendo elas:

  • Cabines literárias
  • Bibliotecas públicas
  • Livros eletrônicos
  • Livros em domínio público
  • Aplicativos como Wattpad
  • Sebos

Revistas em quadrinhos como formadoras de leitores no Brasil

Uma experiência pessoa que tive nos meus anos trabalhando com educação e cultura, foi ver quantidade de pessoas que começaram a ler simplesmente porque pegaram um gibi ou um mangá para ler.

Mangá Spy x Family

Esses potenciais formadores de leitores, muitas vezes ignorados, permitem uma introdução mais leve ao mundo da leitura, até que a pessoa comece a ler por vontade própria e não por se sentir obrigada.

Caso queira saber mais sobre a história dos quadrinhos e seu papel na disseminação da leitura acesse o site da Abrademi.

A Pousada Nerd e o acesso à leitura

Como vimos nesse texto e em todas as fontes citados, a questão do brasileiro ler ou não vai muito além de uma vontade do mesmo, passando muitas vezes por problemas estruturais, culturais e econômicos.

Dessa maneira, o papel do nosso blog colaborativo é oferecer informações sobre o Universo literário e também sobre tecnologias que possam colaborar com essa mudança nos hábitos e acesso à leitura.

Carinhosamente
Marcos Mariano

Fontes

6 thoughts on “O brasileiro não gosta de ler?

  1. Eu li certa vez que as pessoas normalmente lêem 4 livros/ano. Ano passado, li cerca de 30 e esse ano, me dei como meta 51. Tá, já cumpri minha meta rs mesmo só fazendo a soma final bem no final desse mês!
    Eu sempre digo que todos nós, já nascemos querendo ler, mas uns, preferem fugir da voz interior.
    O preço dos livros em nosso país não ajuda muito, realmente. Mas hoje, com as opções de e-book, essa reclamação vem caindo por terra.
    Tá, eu amo um físico. Mas há grupos de troca, há tantos meios de se ler.
    Só precisamos incentivar.
    Essa é a base!!!
    Beijo

    Angela

    1. Olá mocinha,

      51 livros é realmente uma marca muito boa, muito mesmo. Eu fiquei na casa dos 30 ano passado, e esse ano estou na dos 30 novo, porém esse ano de idade e não no número de leituras kkkkk.

      A pandemia contribuiu com uma ressaca literária que está sendo curada aos poucos.

      Concordo muito contigo que existem opções, o desafio é só fazer esses meios se tornarem conhecidos e despertar o gosto pela leitura nas pessoas.

      Minha cidade por exemplo tem 4 bibliotecas e apenas uma é periférica, acho que isso dificulta muito as coisas.

      Beijos

      Marcos Mariano

Deixe uma resposta