Sherlock Holmes existiu?

As Aventuras de Sherlock Holmes

Sherlock Holmes é um dos personagens mais conhecidos de todo o universo literário, ele conseguiu a façanha de se tornar mais famoso que seu próprio criador, Sir Arthur Conan Doyle, e isso não é pra qualquer um, além disso, consegue ser um personagem amado até hoje em vários aspectos da cultura pop, com séries, jogos, filmes, desenhos, etc. Considerando ainda que ele foi criado na década de oitenta do século passado, mas especificamente em 1887, em sua primeira aparição no Livro “Um Estudo em Vermelho”.

Hoje Holmes está no Hall de personagens que têm seus direitos autorais em domínio público, por isso, e também por ser tão amado, ele é utilizado em tantas obras diferentes desde sua criação, suas histórias originais podem tê-lo lançado ao grande público, mas suas obras posteriores foram as grandes responsáveis pela grande fama conquistada, um bom exemplo disso é a célebre frase dita por Holmes ao seu fiel e inseparável companheiro: “Elementar, meu caro Watson”, essa frase, porém não aparece em nenhum dos livros escritos por Doyle.

Um personagem tão real quanto seu autor

Como já dito, não existe apenas um Sherlock Holmes, por se tratar de um título público, várias versões do personagem já foram criadas, mas uma característica é sempre marcante, Holmes é um detetive frio e genial, que desvenda os mais complicados casos e crimes utilizando o poder da lógica e da dedução. Utilizando-se como base suas obras originais, dá para se dizer que Sherlock é um detetive muito bem treinado e extremamente dedicado, que coloca toda sua energia para resolver os casos mais complexos que lhe são apresentados.

Em seus livros, Doyle faz com que Sherlock pareça extremamente frio e calculista a primeira vista, com pensamentos robóticos e a dedução sobrepondo qualquer emoção humana, mas durante a narrativa das histórias fica claro que Holmes preza muito seus amigos e também sua família, assim como também preza fazer o que é certo para ajudar a sociedade, ele nutre uma grande amizade com seu amigo John Watson, além de manter contato com seu irmão e também com alguns de seus clientes detetives. E também é interessante citar a personagem Irene Adler, que aparece em um dos contos como um interesse de Holmes, que pode ser tanto de admiração quanto romântico.

Sherlock usa o método de dedução para resolver casos em que detetives profissionais não conseguem resolver, e após ficar famoso graças as histórias escritas pelo seu amigo e sempre companheiro John Watson, começa a ser procurado por qualquer um que tenha um problema que considere não solucionável, e quando o caso é considerado por Holmes como interessante, ele se esforça ao máximo para chegar a uma conclusão, e ele é muito bom nisso, apesar de ele mesmo já ter dito  não passar de uma pessoa comum com um bom método de dedução.

Porque as histórias originais de Sherlock Holmes são diferentes

Se você gosta de assistir filmes e séries, sabe muito bem que as obras mais aclamadas quase sempre contém em suas histórias uma reviravolta, também chamado de “Plot Twist”, em que a história caminha para um lado e depois disso surpreende com algo totalmente inesperado, os contos de Sherlock Holmes sempre vêm recheados com esse estilo de narrativa, mas com um aspecto diferente, o autor sempre deixa durante a história, pistas para que o leitor possa desvendar ele mesmo a problemática.

O que faz com que os contos de Doyle sejam histórias de detetive em que o leitor tem uma chance de ele mesmo desvendá-las, é claro que raramente se consegue, porém, quando a história é elucidada é possível entender claramente todo o caso, justamente porque os livros não te enganam ou escondem segredos do leitor, na verdade, eles entregam todas as pistas e depois deixa que o grande detetive explique ou encontre as explicações para mais um caso que parecia impossível no início.

Além disso, as histórias são muito bem fluidas e cativantes de se ler, apesar de muitas vezes a narrativa se distanciar da trama original para ter que explicar a trama, o que acontece muito nos seus romances, e pode fazer com que alguns leitores que não gostam deste estilo de narrativa prefiram os contos, ainda assim é uma ótima e empolgante obra para qualquer leitor que goste minimamente de uma narrativa fluida e bem trabalhada.

Os contos de Sherlock Holmes

Por mais que os livros de Holmes serem aclamados, como “Um Estudo em Vermelho”, e “O Cão dos  Baskervilles”, como alguns posteriores livros escritos por outros autores, é em seus contos que vemos suas melhores narrativas, seus contos sempre tem excelentes propostas que desafiam a lógica do detetive e do leitor, e que prendem em sua trama com conclusões muitas vezes que sequer passa pela mente do leitor de tão bem elaboradas.

É também em seus contos que aparecem a maioria dos personagens que fazem sucesso no universo de Holmes e seu ajudante Watson, o que torna extremamente interessante ler cada conto e esperar se deparar com um personagem interessante que pode ou não dar as caras novamente em uma outra história do grande detetive. Entre esses personagens, pode se citar por exemplo Moriarty, um gênio do mal que é basicamente o oposto do grande detetive.

Ainda que os contos sejam livros incríveis de se ler, os romances não ficam para trás, em seu romance de estreia, Doyle conta como os inseparáveis amigos, John Watson e Sherlock Holmes se conheceram, começando assim toda história. Watson acaba se tornando um escritor, que publica nos jornais as histórias das aventuras que vive com seu amigo, esse estilo de narrativa acaba se tornando muito cativante, o que faz com que as histórias realmente se pareça com algo real e se distancie de uma mera ficção na cabeça do leitor.

Confira uma box de livros de Sherlock Holmes

Obra completa – Sherlock Holmes, Arthur Conan Doyle

Em 1887, o escritor escocês sir Arthur Conan Doyle criou Sherlock Holmes, o infalível detetive a quem os agentes da Scotland Yard recorriam para solucionar os mistérios mais intrigantes da Inglaterra vitoriana. Desde então, as aventuras do mestre da investigação atraem leitores ávidos por chegar à última página e ver o enigma desvendado. Esta obra completa reúne os quatro romances e os 56 contos sobre as aventuras do detetive mais famoso do mundo e de seu fiel companheiro, o dr. Watson. Para desvendar mistérios, o faro e a astúcia de Sherlock Holmes levam às fontes menos óbvias, às informações mais precisas. Um modelo que influencia até hoje a literatura policial e revela fôlego para impressionar gerações de leitores através dos tempos.

Concluindo nossa investigação

Toda e qualquer obra que utilize do personagem de Doyle com certeza vale a pena ser conferida, ainda mais pra quem é amante de uma boa história detetive/policial, porém além de séries, desenhos e filmes, os livros originais de Holmes são sempre o prato principal para que quiser desfrutar do melhor das histórias desse grande detetive, então não deixe de ler esses livros que a mais de um século são tão populares e famosos!

Atenciosamente
Julio Bernardes

2 comentários em “Sherlock Holmes existiu?”

  1. Eu gosto bastante do personagem! Inclusive as táticas de detetive que ele utiliza são muito inteligentes e certamente servem de inspiração para investigadores profissionais reais rs. Ótimo artigo!

    Responder

Deixe uma resposta